Afinal o que está acontecendo com a SEGA?

Desde o início do ano a SEGA vem apresentado alterações na sua estratégia de mercado e diversas notícias surgiram notificando suas quedas de vendas. Mas muitos se questionavam como seria possível se nesses últimos 2 anos ela teve tantas franquias lançadas e muitas com vendas significativas.

Bom, de certa forma os vários boatos, rumores e notícias negativas que a SEGA vem carregando à algum tempo, forçou que mais notícias e matérias negativas fossem criadas, manchando a imagem da empresa. Neste ano foram anunciados decréscimo de lucro, algo que muitos confundiram com "prejuízos", dando a impressão que ela não estava mais hapta à se manter no mercado. Porém, uma análise no relatório de vendas da SEGA consta um decréscimo leve, porém constante, o que deveria ser tomada um decisão para resolver o problema. Assim começou as bombas do ano.

Rumores vieram dizendo que a SEGA da Europa iria fechar as portas, depois a SEGA afirma ser um boato falso, mas então ontem pela manhã, a empresa afirma que fechará alguns escritórios que são administrados pela SEGA Europe, como noticiado anteriormente.

Então veio os questionamentos: "Mas como se a SEGA estava tão bem?"; "Seria consequências da crise da Europa?"; "Como fica as novos franquias dela?" entre outras. Então vamos às respostas:



A SEGA não estava bem?
A SEGA estava sim bem, e não posso deixar de negar e ela está passando por uma fase difícil, mas também posso afirmar que não está sendo como na virada do século. A empresa já esteve em situações piores e conseguiu se superar. Agora estamos aí novamente com mais um desafio a encarar, e novamente a mudança do mercado de games parece atingi-la.

Nesses últimos dois anos ela teve muitos lançamento de games tanto no oriente como no ocidente, e lucros significativos. Tudo melhorou mais ainda depois que veio o tão aceitável jogo do ouriço "Sonic Colors", exclusivo do Wii e DS, que até Maio de 2011 tinha vendido 2,1 milhões de unidades. "Iron Man 2" deslocou 1,5 milhões de unidades, "IP Vanquish" vendeu 830.000 e "Shogun 2: Total War" 600.000 unidades.

Nesse período a SEGA registrou lucros de $515.5 milhões, o total de suas vendas foram de $4,9 bilhões, representando um aumento de 3,1% do mesmo período do ano anterior.

A SEGA estava bem até aí, então ela continuou seus lançamentos e até Maio de 2012 ela registrou que Mario & Sonic at the London 2012 Olympic Games e Sonic Generations, que venderam 3.28 milhões e 2 milhões de cópias respectivamente. Virtua Tennis vendeu 1.04 milhões, Yakuza: Dead Souls vendeu 550,000 unidades no PS3. Football Manager 2012 vendeu 710,000 unidades no PC e PSP. Kingdom Conquest teve 2,5 milhões de download só no Android, entre outros games.

Porém esses valores representam 3,6% a menos que no mesmo período do ano de 2011, o que significa um valor de $189 milhões de perdas a um lucro total de $472 milhões, e de vendas $1.07 bilhões.

Relação
20112012
Lucros¥41.5 bilhão ($515.5m)¥38,0 bilhão (472,0 m)
Vendas¥396.7 bilhão ($4.9bn)¥85.6 bilhão ($1.07bn)

Dessa forma, a empresa viu a necessidade de buscar uma forma de resolver esse decréscimo nos lucros.



Fechar os 5 escritórios resolveria o problema?
O fato da SEGA estar fechando os cinco escritórios são estratégias de recuperação e adaptação. E é uma forma de tentar resolver o problema reduzindo gastos.

O mercado já está gradativamente migrando para mídias digitais, as de download, por estar cada vez mais acessível ao publico e ser mais rentável à empresa, além claro, de ser uma grande arma contra a pirataria. Em um futuro próximo, acredito que praticamente 90% dos jogos do mundo inteiro serão distribuídos digitalmente. Esse seria de fato a medida a estratégia de adaptação referido pela SEGA.

Olhem só um tweet interessante sobre isso do nosso amigo Moacyr Alves (Presidente da ACIGAMES).


Quanto à recuperação, a empresa visa uma reestruturação, e a medida adotada por ela é reduzir os gastos e frear a queda dos lucros, para que assim depois de instabilizar sua rentabilidade, voltar a fazer novos investimentos para manter os lucros em constante aumento, até atingir valor satisfatório e favorável para que a empresa fique imune à qualquer oscilação do mercado.

Colocando seus jogos exclusivamente em mídia digital, diminui os custos de fabricação e a necessidade de possuir escritórios em tantos países diferentes tão próximos um do outro. Portanto, fechar 5 escritórios que pouco iriam abalar a lucratividade da empresa mantendo os jogos a disposição do publico porém por download, foi uma estratégia de recuperação e adaptação como mencionado pela SEGA.



A crise da Europa teria influenciado isso?
O mercado europeu está enfrentando uma forte crise econômica devido o alto endividamento público, principalmente nos países da Grécia, Portugal, Espanha, Itália e Irlanda, e a falta de coordenação política da União Europeia para resolver questões de endividamento público das nações do bloco. Enquanto isso o EUA ainda tenta se recuperar da crise de 2009.

Isso certamente abalou o comércio e o mercado nessas regiões e também em outros países. Porém a SEGA não anunciou diretamente ter sido afetada pela crise. Mas podemos fazer alguns levantamentos e tirar nossas próprias conclusões.

No relatório publicado em maio de 2011, a SEGA vendeu no total de 18,7 milhões de jogos de PC e console no mundo, dos quais aproximadamente 7,8 milhões foram nos EUA, 8,2 milhões na Europa e 2,6 milhões no Japão e outras regiões.

Na época, a empresa alegou que as vendas de jogos pra console foram fracos os EUA e a Europa, bem como Japão no qual teve as vendas interrompidas devido ao terremoto e o tsunami no território japonês durante o ano.

Em maio desse ano, a SEGA registra que a venda dos produtos embalados, caíram para 17,2 milhões de unidades, 6,1 milhões em os EUA e 8,2 milhões na Europa.

De acordo com o editor da SEGA
"As vendas de novos títulos permaneceu fraco principalmente nos EUA e na Europa, devido às condições adversas de mercado, resultando em um declínio ano-a-ano no volume total de vendas de pacotes de software".

Por essa citação é possível entender que a instabilidade do mercado atingiu sim a companhia, e que também os números de vendas das mídias físicas está caindo ano-a-ano. Assim percebe-se mais um motivo para mudar a distribuição dos games para mídia digital e terceirizar o serviço na Europa.



Mas foi só a SEGA que sofreu com essas oscilações do mercado?
A crise do EUA, da Europa e as catástrofe no Japão castigou não somente a SEGA. Nesses últimos dois anos testemunhamos várias empresas sofrendo com perdas, baixa na lucratividade e até mesmo prejuízos. Empresas as quais possuem o mercado ainda mais forte que o da casa do Sonic foram atingidas, não somente por esses motivos, e tiveram perdas ainda maiores.

A Capcom parece ter sido a que mais sentiu a crise de 2009 e também apresentou baixas nas vendas no EUA na época que a crise apertou por lá. A empresa anunciou queda de 73% nos lucros, chegando bem perto do vermelho.

A Sony, registrou no último ano fiscal (em março desse ano), prejuízos de 456,7 bilhões de ienes (US$ 5,745 bilhões). Esse seria quarto ano consecutivo que a empresa japonesa mantem no vermelho. As perdas da companhia em 2011 foram 75% maiores do que no ano anterior, alcançando o prejuízo de 259,6 bilhões de ienes (US$ 3,26 bilhões).

A alternativa que a Sony optou foi cortar 10 mil postos de trabalho, cerca de 6% do quadro de funcionários no mundo.

E recentemente, na relação fiscal desse ano, a Nintendo também nos trouxe tristes notícias. Mas dessa vez, a empresa japonesa sentiu falta da inovação, e diante a explosão nas vendas de tablets e celulares inteligentes e mais versáteis, além da mudança do mercado de jogos em mídias digitais, refletiu para bolso dela prejuízos de 45 bilhões de ienes (US$ 575 milhões), bem acima da previsão de 4,2 bilhões de ienes.

"Dizer que (os dias dos consoles) estão contados provavelmente seria exagero, mas os jogos para redes sociais e via Internet estão crescendo e causando mudanças estruturais no futuro do setor, o que representa forte vento contrário para a Nintendo." Shigeo Sugawara (Sênior de investimento da Sompo Japan Nipponkoa Asset Management).

"O período de crescimento (da Nintendo com os consoles) acabou. Não acredito que a companhia deixará de existir, mas se eles não ingressarem em novas categorias sem dúvida perderão a grande escala que desenvolveram." Mitsushige Akino (Vice-presidente de administração de fundos na Ichiyoshi Investment Management).




Mas e a SEGA do Japão?
Com uma super capacidade de recuperação, o Japão está voltando a normalidade depois dos desastres naturais que praticamente devastou o país e sua economia. A população japonesa possui um elevado poder de consumo pelos altos salários que possuem. Dessa forma o mercado interno japonês é muito desenvolvido favorecendo o comercio de games.

No mês de março desse ano a SEGA era a terceira empresa com mais números de vendas no país. Seu game de RPG "Shining Blade" para PSP, foi o segundo mais vendido no Japão com 122,257 unidades no mesmo mês, além de Mario & Sonic at London Olympics (3DS) com 105,000 vendas.

O jogo da cantora holográfica de extremo sucesso no Japão é feito pela SEGA, e ela divulgou que os 3 jogos para PSP (Project Diva, Project Diva 2, e Project Diva Extend) alcançou a marca de 1 milhão em vendas, somente no Japão.

Portanto os jogos no país de origem da SEGA continuam sendo lançados em mídia física, e recebendo jogos exclusivos. Além disso, vale citar, que a empresa anda fazendo certos investimentos por lá, como a construção de um outro edifício com estruturas anti-terremoto e o desenvolvimento de uma rede propriamente da SEGA.



E como a SEGA está no Brasil?
"O Brasil, na verdade, é o que era a Coreia do Sul há oito anos." Gilberto Akisino (Diretor da Gamemaxx).


O Brasil não tem uma forte reestruturação como o Japão, mas possui uma estrutura forte o bastante para não precisar se reestruturar.

A crise de 2009 não nos abalou literalmente, e estamos conseguindo nos manter firmes com a da Europa. E isso está chamando a atenção das empresas lá fora.
Incluindo a própria SEGA, claro. O mercado game brasileiro está em constante crescimento. Temos um dos maiores consumos de game do mundo (4° maior consumidor, na frente do próprio Japão) e aos poucos as empresas nos olham com mais interesses em investimento, vendo o Brasil dono de um mercado vantajoso e estratégico, sendo uma possível forte fonte de lucros.

De uns tempos pra cá, tenho notado uma "tímida" aproximação da SEGA com o Brasil.

Em agosto do ano passado, Ken Balough (Gerente de marca digital da SEGA) postou no fórum oficial da SEGA alegando que a empresa tem interesses no Brasil e que iria estar vindo para divulgar algumas de suas franquias, e disse mais tarde que estaria analisando o mercado brasileiro. Veja a publicação traduzida abaixo:
"Como eu mencionei há um tempo atrás - A SEGA esta interessada em expandir e apoiar os nossos fãs no Brasil para avançar.

Eu estou feliz em dizer, que a partir de 25 dezembro a 3 janeiro, serão capazes de ver totalmente localizada em Português um BDE (Branded Destination Experience) no XBox para o Renegade Ops.

Este é um grande passo, pois será o primeiro anuncio localizado para o Brasil. Também estaremos fazendo por TV para Sonic Generations e Mario & Sonic nesse feriado.

Espero vocês saibam que a SEGA está muito empenhada em apoiar os nossos fãs da fronteira sul e agradecemos todo o apoio."

E recentemente Balough publicou em uma comunidade brasileira de games do Facebook a seguinte mensagem:
"Olá pessoal,

É ótimo ver que temos tantas pessoas aqui apoiando Sonic e Sonic 4 no Brasil. Eu não posso agradecer a nossa base de fãs brasileiros o suficiente!

Eu queria vir e fazer um anuncio para o Brasil com os nossos adeptos fiéis e fazê-lo pelo facebook :)

Como muitos de vocês já sabem, temos Episódio II vindo para o Brasil nesta Primavera, fico feliz em revelar que a SEGA está anunciando que o Episódio I e Episódio II estão ambos vindo para o Brasil na Primavera - de fato - nós estamos alvejando um lançamento no mesmo dia para ambos!

Vamos atualizá-los sobre a data exata, uma vez que devemos trabalhar com a 1° parte e todos saberão :)"
Assim, Sonic 4 Episode I e II foram lançados para o Brasil no dia prometido e estão disponíveis nos sistemas de vendas onlines brasileiros pelo mesmo preço que são vendido no EUA. E na XBLA brasileira, esses jogos estarão disponíveis a partir do dia 4 de Julho.



Mas e quanto aos lançamentos e as vendas atuais?
Com essa restruturação, a SEGA anunciou que vai concentrar em quatro de suas franquias, sendo elas Sonic the Hedgehog, Total War, Football Manager e a série Aliens, como pronunciou Jürgen Post, COO da SEGA Europe. Entretanto a empresa não lançará apenas esses quatro games, ela focará e desenvolverá melhor esses games, enquanto outros continuarão sendo fabricados.

A SEGA está com uma lista até grande de lançamentos, e posso dizer que achei até bastante interessantes vendo os trailers. Veja alguns deles, inclusive os japoneses:

Aliens Colonial Marines
The Cave
Hell Yeah!
Jet Set Radio
Sonic & All-Stars Racing Transformed
Phantasy Star Online 2
Valkyria Chronicles Duel
Entre outros.

A SEGA está com jogos prontos, inclusive preparados para o lançamento no ocidente, porém chegaram apenas no Japão, pelo menos por enquanto. É o caso de Anarchy Reigns que será lançado na Terra do Sol nascente dia 5 de Julho, mas para o ocidente foi adiado para o 1° semestre de 2013. Talvez ela queira dar um tempo ao mercado, até se recuperar e/ou está um pouco duvidosa com o mercado do oeste.

Quanto às vendas atualmente, as últimas franquias lançadas neste mês não tiveram maus resultados. Virtua Fighter 5: Final Showdown com 2 semanas de lançamento atingiu a faixa dos 300 mil downloads e Sonic 4 Episode II chegou a ser o 5° game mais vendido na PSN.



Quais os planos da SEGA para o futuro?
A SEGA está se restruturando para garantir o seu futuro. Todas essas medidas adotadas são formas solucionadoras dos problemas atuais e preventivas de problemas futuros. Adaptar-se ao novo mercado é essencial para sua carreira e necessária caso deseja continuar nele.

As palavras que a SEGA nos deixa nos conforta e explica estar se preparando para o Futuro.

Quanto a mudança para as mídias digitais a SEGA demonstra que games se trata de uma indústria mutável e essas plataformas ( Android, iOS, Steam, PSN, XBLA e etc) são modelos de negócio de sucesso já que está superando em lucratividade as mídias físicas.
"Isso é um negócio fantástico, porque combinando tudo isso, será enorme e está crescendo. Mas tivemos que fazer as mudanças que estão sendo feitas, para estar melhor preparado para o futuro."


"Você tem que abraçar o mundo novo, e não pode continuar fazendo tudo como fazia no passado. Se você se prender somente no que sabe, você terá um sucesso muito curto." Jürgen Post

"A empresa se beneficiará de um foco claro, e a estratégia realinhada para mídias digitais e físicas nos deixa confiantes de que isso caminhará para um futuro sucesso."

"A SEGA vai encontrar vantagens com o mix adequado de produtos digitais, bem como já vende os produtos e seguirá uma estratégia rigorosa. Estamos ansiosos para um futuro de sucesso."

A SEGA também está investindo na criação uma nova subsidiária chamada "Sega Networks" para distribuir serviços e produtos online de seus jogos em mídia digital, já que ela vai focar no desenvolvimento de jogos específicos para estes meios.



Impressões finais
Então podemos notar que a SEGA será em um futuro próximo uma distribuidora de jogos digitais. E é engraçado imaginar que talvez por um problema que assustou muitos levasse ela a seguir especificamente este rumo. Claro, isto não é concreto, mas se esses planos derem certo e a SEGA Network passar a ser a principal lucratividade dela, não duvido muito.

Porém não acredito muito na hipótese de o dinheiro estar sendo desviado para o Japão para construção de um novo console, apesar de tudo fazer sentido para esse acontecimento (fechamento de 5 escritórios, concentração ao Japão, criação da SEGA Network) como tem sido comentado por aí.

Posso dizer também que não me surpreendi com a notícia dos fechamentos dos cinco escritórios, principalmente que desde o início do ano ela tem falado que iria buscar uma alternativa para resolver seus problemas dos índices cada vez mais baixos nas vendas. E não é de hoje que ela precisava fazer algo parecido. Porém confesso que não imaginava que a SEGA fecharia 5 de uma vez, principalmente o da Austrália, que está sozinho lá, mas como sua administração está amarrada na SEGA Europa e não é um país com lucros significativos, ele foi incluso.

De certa forma, vejo uma vantagem nisso tudo. Gostei do fato da SEGA querer focar em certas franquias, isso vai força-la a desenvolver e se concentrar mais neles, resultando assim em jogos melhores, acredito eu. E também que com todos esses aspectos descritos acima, fórça uma maior influência japonesa nos games, afinal a SEGA se concentrará mais (como já está fazendo) em jogos destinados à eles, os quais na minha opinião, são mais bem desenvolvidos e melhores que os feitos para o publico americano.

Assim amigo leitor, quando ouvir ou ler em qualquer outro site de que a SEGA está falindo, pense bem no que leu aqui e nas informações que conseguiu absorver. Apesar dela negar, é verdade que a SEGA está enfrentando problemas no momento (algo normal no mercado e para qualquer empresa), porém não estamos perdendo uma empresa que marcou, testemunhou e influenciou a evolução desse mercado que temos hoje, e que com os seus 72 anos, a velha SEGA continua influenciando a economia mundial.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

6 comentários:

  1. Ótimo artigo! Não estava entendendo direito a estratégia da Sega e você conseguiu explicar perfeitamente!

    ResponderExcluir
  2. para bens ficou ótimo deu para entender direito o que ta passando com sega ficou ótimo.

    ResponderExcluir
  3. Uma coisa que me fez refletir a respeito foi, ao ver os créditos do Sonic 4 Ep. II, a quantidade de nomes e filiais que a Sega ainda possuía. Uma empresa que diziam estar enfrentando quedas nos lucros não poderia se dar ao luxo de tanta gente assim. Dito e feito: provavelmente esse foi o último jogo da Sega no qual elas foram creditadas.

    Ademais, a análise foi perfeita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não só no Sonic 4 Episódio 2, como em Sonic Colors também. Me surpreendi pela Sega ter tantas filiais.

      O artigo está bem feito, parabéns.

      Excluir
  4. parabéns! pelo artigo! sem muito o que falar, SEGA FOREVER

    ResponderExcluir
  5. Obrigada galera, fico feliz que gostaram.

    Esse foi um assunto que começou a causar muitos desentendimentos, portanto me animei em dar uma pesquisada a fundo e trazer em dados verídicos para que entendem melhor o fato.

    ResponderExcluir